sábado, 30 de julho de 2011

RESPEITANDO LIMITES










Meus queridos leitores, bem que eu estava saudoso desses momentos passados juntos, mas é preciso respeitar os nossos limites. Todos nós temos limites, ainda que a grande maioria desconheça-os.

Há momentos na vida, que é preciso reduzir a velocidade ou, simplesmente, estacionar e desligar o motor. Os pretensos sabichões dos cursinhos de formação de líderes ou afins prestam um enorme desserviço à humanidade, ao fazer crer que todos, com a aplicação de certas técnicas, podem tornar-se empreendedores de sucesso. Isto não é verdade.

Desde a sua época, cerca de 600 anos antes de Cristo, Pitágoras já alertava os governantes da Grécia que era preciso formar líderes para serem futuros governantes, mas, antes disso, a seleção acurada dos candidatos seria indispensável. Todos deveriam ser tratados por igual, mas nem todos estariam habilitados.

A Numerologia da Alma, seguindo os ditames da filosofia pitagórica, ensina as regras que comprovam as afirmações do Mestre. Se todos soubessem dos seus limites, e confiassem mais nas suas vocações, o mundo seria habitado por um povo feliz. Mas, quem está aí para aceitar limites!

Meus ingênuos leitores, a democracia estabelece leis que promovem a igualdade e o direito assegurado a que todos possam acessar posições de comando. Mas, nem todos sabem usar o poder, quando lhe cai nas mãos. A todos é dado o direito de reivindicar posições de liderança e o acesso a riquezas, mas nem todos vieram a esta vida para atingir esses ideais.

Eu sei que afirmando isto, eu acabo contrariando as tuas expectativas, meu sonhador leitor. E tu que freqüentas uma universidade, onde te ensinam justamente o contrário, poderás ficar meio confuso e desalentado. Não é esta a minha intenção, afianço-te com toda a minha sinceridade. Aliás, pretendo exatamente o inverso, dissipar-te a ilusão de que tu és um fracassado, por não conseguires reunir os mesmos louros de colegas teus, que celebram o sucesso, com muito menor esforço do que tu.

Os teus professores cobram-te mais estudo, e tu não te tornas um líder ou um especialista na área. Os teus chefes exigem mais dedicação e trabalho, e tu não és capaz de te tornar o líder que, um dia, assumiria o poder de chefiar o teu departamento ou de se tornar um dos diretores.

Ah, dolorosa ilusão, a do ser humano, que se imagina igual a todo mundo, sem nunca perceber que ele não é todo mundo! Os pais comparam os talentos dos filhos, os professores confrontam o saber dos alunos, as empresas estimulam a competição desigual, entre seres com habilidades diferenciadas.

Se tu nasceste para cumprir uma missão de trabalho e disciplina, em que deverás aprender a seguir ordens e a executar tarefas estabelecidas por vontades alheias, liderança não é o teu caminho. Poderás até argumentar que tu sabes comandar melhor que o teu chefe. E, isto poderá ser verdadeiro, porém, mesmo assim, não te habilita a assumir comandos.

O mal que assola a humanidade nos tempos modernos é que todos se julgam com o direito a tudo, desprezando os seus limites. E, sinto informar-vos, meus ambiciosos leitores, que todos temos nossos limites. Tentar romper os limites, até podemos, mas não devemos. Ou percebemos nossas limitações, e não seguimos em frente, ou amargaremos grandes decepções.

A Numerologia da Alma me ensinou que, uns nascem para mandar, outros, para obedecer. E isso não tem nada a ver com a famosa frase “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Esta afirmação pressupõe medo, o que não deve ser o que move uma criatura lúcida, diante das suas naturais limitações. Muito pelo contrário, na maioria dos casos, é preciso coragem para recuar e desistir de tentar.

Vamos a um exemplo para satisfazer a tua curiosidade, meu atento leitor, tu que estás questionando minhas palavras, desde as primeiras linhas. Compreendo-te, pois estás doutrinado a crer que todo mundo pode ser líder, ficar rico e viver de renda. Mexendo com a tua ambição, o sistema te faz trabalhar para os que já têm muito, e que admitem te oferecer algumas migalhas, desde que tu aceites servi-los sem restrições.

Se tu tens uma missão governada pelo número QUATRO, a tua alma deseja ganhar experiências através do trabalho, esperando que tu te esforces a cumprir tarefas, a obedecer e servir humildemente, sem vaidades ou recusas. Mesmo que tenhas uma alma de líder, o teu papel nesta vida deverá ser o de liderado, jamais o de comandante.

Tenta entender, meu rebelde leitor, que o mundo não funciona como te fazem crer. Não julgues que podes tudo, mas aceita que, é tua alma que te governa. E quando se é rebelde aos reclamos da alma, a depressão, as perdas e as doenças migram aos poucos da mente para o corpo físico.

Dou-te outro exemplo, meu insistente leitor, confrontando o desejo de casar com a necessidade de uma vida de solteiro. Uma alma SEIS traz para esta vida o apego aos parentes e o sonho de constituir a sua própria família. Mas, se a missão desta alma é SETE, as dificuldades para casar ou para ter um casamento harmônico serão grandes, conduzindo a personalidade para ações que a afastem das rotinas do lar. Isto porque a alma precisa assimilar novas experiências fora do casamento, para que prossiga na sua evolução espiritual.

Aceitar as limitações é a atitude mais sábia para personalidades que devem cumprir missões que contrariam anseios trazidos na alma, de vidas passadas. Essas personalidades não devem iludir-se com a propaganda enganosa de instituições que pregam o poder ao alcance de todos. Que não se negue esse poder, mas que seja ele creditado à alma, e não à personalidade. E a alma almeja o fiel cumprimento da missão, e não a satisfação dos desejos físicos e materiais, que são estimulados por esse nosso sistema materialista e perverso.

Não te deixes enganar meu sábio leitor, não caias no logro dessas pregações gananciosas que desejam igualar a todos, e colocar os mais ambiciosos a serviço dos mais espertos. Querer é poder, desde que saibamos respeitar os ideais da alma.

Tudo é possível, mas é preciso saber respeitar limites. Tu podes tudo, mas quem decide é a tua alma, a personalidade é mera serviçal da alma.

Respeitando limites, nós enriquecemos, somos felizes, temos saúde e progredimos espiritualmente. Não te deixes seduzir pelas falsas riquezas e por poderes efêmeros. Tudo isto passa, só não passam os valores que promovem a riqueza espiritual.

Cuidado meu acelerado leitor, não ultrapasses a velocidade permitida, respeita os limites, porque “a vítima pode ser VOCÊ”.

2 comentários:

  1. Existe um limite para tudo!!
    Beleza de texto.
    paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Curto e lindo, Bel!
    Grato pelo elogio.
    Muita paz.
    Gilberto.

    ResponderExcluir