sexta-feira, 15 de maio de 2009

Karma e Reencarnação - o karma 16

A experiência me tem revelado que, cada vez mais, as pessoas demonstram curiosidade sobre suas vidas passadas e o que esperar do futuro. Não importando qual seja a sua crença, a reação natural e instintiva é pedir que fale alguma coisa dela, que ela não saiba. Algumas emendam o pedido com uma ressalva, "mas não me conte nada de ruim que virá a acontecer". Em relação às vidas passadas, costumam ser menos incisivas, mas ainda assim um pouco reticentes.
Quando surgem números kármicos nos seus mapas, ficam meio assustadas, por não saber o que isso possa representar de pior para sua vida.


O consolo que procuro dar, diante dessas presenças kármicas, é que são coisas do passado, ações de outras vidas que foram cometidas por uma outra personalidade, na qual sua alma esteve encarnada. O mérito maior que faço questão, então, de ressaltar é que ela foi a escolhida por sua alma a ajudá-la a superar as conseqüências dessas antigas ações kármicas.
É claro que a presença de qualquer um deles no mapa é uma demonstração inequívoca da natural tendência a repeti-los, se não houver muita atenção e permanentes cuidados.
Daí porque a numerologia pode prestar uma enorme ajuda na identificação de cada um desses karmas, e nas recomendações de como lidar com eles.
De acordo com a posição que ocupem no mapa, os karmas podem ser mais ou menos ativos, influindo de um modo maior ou menor, nos riscos de vir a re
peti-los.
Procuro tranqüilizar essas pessoas que trazem números kármicos nos seus mapas, dando-lhes o conselho mais simples e coerente que se pode dar, quando
o assunto em pauta é o karma.
Não resistir aos efeitos kármicos, não fugir do enfrentamento e não fechar os olhos para sua realidade são as lições mais eficientes para conviver com os karmas, pois recusá-los ou tentar desconhecê-los somente servirão para realimentá-los e torná-los mais fortes e atuantes.
Na visão numerológica, vence-se o karma através das atitudes sugeridas pelos seus números reduzidos, que se comportam como guias e conselheiros, em todos os momentos. Se o karma é o 14, o melhor é ouvir o número 5. Se o karma é o 16, ouve-s
e o número 7. Se o karma é o 19, é a vez de se dar ouvidos ao número 1. O karma 13, que é suave como a preguiça, resolve-se com a simples opção pelo trabalho e por assumir-se responsabilidades, como recomenda o número 4.
Aconselho, portanto, às minhas amigas que possuem 16 na alma ou na personalidade que se concentrem bem nas virtudes e vocações do nº 7,
procurando adotá-las em todas as suas ações.
Há diferenças, é verdade, apesar do tratamento ser sempre o mesmo. Se o karma 16 aparece na alma, a influência é bem mais forte, dando uma estranha sensação de que, a qualquer momento, tudo pode acontecer novamente, ainda que não se tenha a consciência exata do que é que pode voltar a se repetir.
As lembranças permanecem retidas na memória espiritual, mas não são identificadas a nível da consciência. Com isso, os efeitos dos antigos karmas vão agindo e influindo nas ações, apesar de não serem entendidos os motivos que provocam cada s
entimento ou emoção.
Dessa forma, os karmas na alma interferem bastante no comportamento, gerando medos e bloqueios emocionais, que poderão inibir ou até anular virtudes e talentos.
A maneira mais aconselhável para lidar com essas reações inibidoras é não tentar negá-las, nem fugir delas. O melhor mesmo é encará-las de frente, tentando entender os motivos que deram origem a essas tendências fugidias e escapistas. O autoconhecimento e uma avaliação precisa de cada acontecimento ajudarão a equacionar e resolver todos os conflitos, sem traumas ou medos.
Uma sensação estranha de um fracasso iminente, diante
de qualquer experiência mais ousada, pode ser um sinal de que uma situação semelhante foi vivida em uma outra vida. Mas, de forma alguma, essa sensação estaria prenunciando um novo fracasso. O sentimento é de que tudo pode vir a se repetir, e que é melhor não arriscar. Mas, o karma 16 também está relacionado a perdas de oportunidades ou a tentativas erradas, daí porque fugir ou evitar, não é a solução.
O ideal mesmo é enfrentar cada situação com a percepção e o detalhamento de um número 7, sem ilusões ou emoções.

As almas 7 devem seguir pressentimentos, pois são intuitivas e videntes, mas precisam aprender a separá-los das fantasias e devaneios do mundo místico que domina a sua mente. Não se deve confundir a visão hiperfísica, que gera imagens mentais, com sensações ilusórias, provocadas pela vontade de produzir um fenômeno espiritual. Tem gente que tem vontade de ser medium ou vidente, mas não nasceu com esse dom, então vive criando rituais e celebrações, nos quais surgem mensagens ou imagens, inventadas por suas fantasias mentais. Isto não é sadio, e também não ajuda, só atrapalha.
Cuidado com as mentiras e manipulações , que são tendências dessas
almas 16 que, ao invés de buscar saídas para seus karmas, se embaraçam cada vez mais nas suas redes de intrigas. Evitem os escândalos e as traições, especialmente as amorosas, buscando colocar-se a salvo das seduções e tentações da matéria.
Controlem suas ambições exageradas e as reações autoritárias, não se julgando donos da verdade ou senhores das vontades alheias.
Os karmas, qualquer um deles, quando surgem na alma,
podem fugir do controle e se repetirem a qualquer momento. Isso porque, as causas estão impregnadas na alma, palpitantes e latejantes, como uma ferida mal cicatrizada. Essas dores, quando se trata do karma 16, poderão ser ainda mais intensas, se o nº kármico 13 surgir em alguma posição do mapa. Essa presença configura o mau uso dos poderes espirituais em proveito próprio, interferindo na vida alheia e gerando os doloridos karmas da magia negra. Isso costuma afastar essas almas das práticas espirituais por diversas encarnações, devido ao medo de repetir os erros. Algumas pessoas não podem nem ouvir falar de fenômenos espirituais ou místicos que se arrepiam e se benzem. Muitas dessas, senão todas, foram magas negras em outras vidas, e não querem nem pensar em correr o risco de repetir os karmas do passado. Mas, o tempo trata de fazê-las esquecer os males causados, enquanto vão pagando por seus karmas e resgatando-os, vida após vida. Chega uma vida em que o mundo espiritual oculto se abre novamente para essas almas que, cautelosas e criteriosas, voltam aos seus rituais de magia, curando, aconselhando, consolando e exorcisando os demônios daqueles que insistem em manipular a vontade e os sentimentos alheios.
As personalidades 16, por estarem numa fase mais avançada de eliminação dos karmas, sofrem menos pressões, enquanto, de um modo mais prático e objetivo, vão deixando esses karmas para trás. O momento é este, com o karma na personalidade, a encarnação é propícia para a quitação de todas as dívidas do passado.
Assume-se o perfil do nº 7, e segue-se adiante. Pre
servamos nossos espaços, passamos mais momentos a sós e nos dedicamos a leituras, estudos e meditações. A ciência torna-se a fonte de nossas curiosidades; os mistérios, a inspiração de nossas pesquisas e a expansão ilimitada da nossa consciência espiritual, a razão de viver.
Os cuidados recomendáveis às almas 16 se aplicam às person
alidades, especialmente no que se refere a traições e escândalos amorosos. As personalidades, no entanto, não serão tão afetadas por remorsos e medos de fracassos com a mesma intensidade das almas 16.
Se o karma 16 vem na missão, aí então não há o que duvidar, essa alma fracassou numa missão anterior. E se ela traz, em qualquer lugar do mapa, o nº mestre 11, o fracasso envolveu a liderança de grupos iniciáticos, e, agora, está repetindo a missão fr
acassada.
Em tais casos, todo cuidado é pouco, para que o fracasso não
volte a se repetir. Um novo fracasso seria por demais decepcionante e doloroso para essa alma, quando se desse conta disso, depois de desencarnar.
Compreendo que, no Ocidente ainda se encontra muita resistência quando se fala em karma e reeencarnação. Se a gente menciona o assunto, as pessoas se sentem incomodadas e bastante desconfortáveis. Elas alegam, quase sempre, que não lembram de nada de outras vidas, logo não podem confirmar se o que é dito aconteceu mesmo, ou não.
É verdade que as lembranças de outras vidas são apagadas da memória consciente, mas permanecem no inconsciente, e assim, resíduos ou lapsos dessa memória kármica podem, a qualquer momento, colocar-nos diante de uma sensação estranha
ou de um sentimento que causa surpresa ou emoção.
Crendo ou não crendo nos karmas e na roda de reencarnações, eles existem, e o melhor é não duvidar. Todos nós continuaremos a reencarnar, até que o último sentimento negativo, por mais ingênuo ou simplório que seja, venha a ser superado.
Dar o amor sem esperar retribuição, ofertar o perdão sem re
strições ou doar aquela esmola que fará falta serão práticas obrigatórias, para que se possa evoluir. Enquanto uma simples pendência kármica persistir, a alma estará em dívida com o Espírito ou a Mônada.
Vencer os karmas, e ajudar as almas a quitarem todas essas dívidas espirituais, é a grande responsabilidade das personalidades, a cada encarnação. E para fazer isso basta cumprir a missão.

Dedico essa postagem às minhas mais ilustres seguidoras, que estão investidas de personalidades guerreiras e corajosas, para libertarem suas almas dos karmas do nº 16.
Daniele e Patrícia, o brilho dos seus nºs. 7 ilumina a escuridão dos kar
mas, e faz com que suas vidas sirvam de exemplo para suas amigas e familiares. Os karmas se perdem e se atrofiam, diante da grandeza com que põem em prática as qualidades e os valores do nº 7.
A receita é esta, o remédio é amargo, mas a cura é prazerosa e gratificante.








21 comentários:

  1. Suas palavras me emocionaram. E minha sensação do.. vai repetir e principalmente de fuga ficaram bem mais claras agora. Muitas vezes literalmente saí correndo, não podia evitar. Principalmente quando se relacionava a novos conhecimentos. Sempre tive muita responsabilidade com o que aprendo, evitando ao máximo, (porque muitas vezes manipulo por defesa) manipular por ter aprendido algo novo. E também tenho vontade de compartilhar o aprendido. Sempre que algo fica claro pra mim e experimento uma abertura de consciência o medo acompanha. Mas tenho sempre seguido em frente porque fazendo coro com você: o remédio é amargo, mas a cura é prazerosa e gratificante.
    E não me ausentarei mais por tanto tempo. Grata por tudo. Um grande abraço pra você e para Flora.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Daniele !
    Que bom que o texto mexeu com a sua alma, e a fez se entender melhor.
    Esta é a minha intenção, quando escolho um tema para postar.
    Quando eu pedi sugestões, quis ir o mais fundo possível, tocando em assuntos que tinham relação com a vida das pessoas.
    Continuo aberto a novas sugestões.
    E qualquer um que freqüenta o blog, pode fazer um comentário, e sugerir um tema.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  3. Oi Gilberto!!!

    Agora q vi sua postagem...essas informaçoes foram muito importantes pra mim, elucidaram muitas duvidas e clarearam o caminho para saldar esses débitos anteriores...

    Abraços a vc e Flora

    ResponderExcluir
  4. Oi, Patrícia !
    Estou satisfeito por ter conseguido transmitir uma mensagem objetiva às duas que me sugeriram esse tema.
    Como deve ter observado, a Daniele também se identificou com o que foi explicado, e percebeu que o remédio é amargo, mas cura.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  5. Olá, o que você nos diria do karma 14?

    ResponderExcluir
  6. Meu caro, desconhecido, interessado no karma 14.
    Antes de qualquer comentário sobre o nº 14, recomendo-lhe ler com atenção as postagens Alma 14/5 - Uma alma Cigana, de 16 de julho de 2008; Combinações kármicas, de 1 de junho de 2009 e a última Os medos kármicos, de 28 de agosto de 2009.
    Em cada uma delas, há alusões aos karmas 14, mas não custa acrescentar mais algumas palavras sobre esse karma, tão impregnado na vida da humanidade.
    Os karmas relacionados ao nº 14 falam de apegos a bens materiais, a descaso com a família, abandono de lar e de filhos, rompimentos e falta de paciência em dialogar e o medo da miséria.
    As mulheres que sofrem com a perda de filhos ou que não conseguem engravidar costumam ter karmas 14, que denunciam abortos ou abandono de seus filhos, em vidas passadas.
    As pessoas com karmas 14 têm de aprender a se desapegar de tudo, sem no entanto voltar a romper os seus relacionamentos. Às vezes, na tentativa de serem independentes e livres, como bons números 5, essas pessoas acabam voltando a repetir esses karmas, por lhes faltar bom senso na hora de agir.
    Esses karmas são difíceis de serem vencidos, pelo fato de grande parte da humanidade estar obcecada pelos bens materiais.
    Acho que já dá para se ter uma idéia a mais sobre o karma 14.
    Agradeço a visita, e não custa se identificar, da próxima vez que passar por aqui.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  7. Enquanto ao Karmas Preciso ver se tenho-os , fiz uns cálculos em um site e deu sois numeros o "12" e o "14" mais não sei se estão Certos . Mestre como descobrir se tenho esses numeros ?

    Abraços '

    ResponderExcluir
  8. Antes de pensar em números kármicos, deveria ler e estudar mais, nos livros que recomendei.
    E para o seu conhecimento, o 12 nunca foi, nem jamais será um número kármico.
    Se tivesse prestado mais atenção nas postagens iniciais do Alma Mater, iria encontrar todos os números kármicos e mestres. Mas, está tão ocupado consigo mesmo que não absorve os ensinamentos na sua essência, mas somente nas formas que possam relacionar-se ao seu caso.
    Estudar é aprender para adquirir uma sabedoria ampla, que permita ajudar a todos. Se não for assim, é só curiosidade egocêntrica, trazendo tudo que lê para o seu mundo exclusivista.
    Esqueça um pouco o "eu", José Fabrício, e pense mais em "nós". Enquanto persistir em só pensar em si, não evoluirá nem um passo.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  9. Desculpa , mestre
    Vi o Erro que cometi enquanto ao 12 , é preciso me mudar para depois não sofrer consequências mais graves.

    ResponderExcluir
  10. Comece contando até cem, antes de tomar qualquer atitude. Este seria um bom começo, José Fabrício.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  11. Olá Gilberto eu tenho o karma 16 como lição de vida o 13 da alma e o 11 e o 9 como numero de poder. Você poderia me mandar algo por e-mail que pode me ajudar?

    Kenshinjitsu@hotmail.com

    ResponderExcluir
  12. Meu caro Anônimo:
    A nomenclatura usada em seu comentário não condiz com a que eu uso na Numerologia da Alma.
    Lamento, também, mas não faço análise individual em relação à matéria do blog.
    Procure ler outras postagens, para encontrar as respostas desejadas.
    Agradeço o seu interesse.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  13. Oii pode me mandar seu email?

    Desde já muito grata!!
    quetsiasantos@hotmail.com

    ResponderExcluir
  14. O meu email é gilbertodacunhagoncalves@gmail.com
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  15. Danielle Lourençon12 de outubro de 2013 10:08

    minha filha Danielle Lourençon morreu em um acidente em 2007.
    Disseram-me que ela já está reencarnando. É verdade

    ResponderExcluir
  16. Minha querida leitora,
    Sinceramente, eu não sei responder à sua pergunta.
    Há almas que reencarnam pouco tempo após a morte.
    Outras demoram mais tempo.
    Casos de acidente, quando há sofrimento e traumas muito profundos, as almas podem necessitar de mais tempo até voltar a reencarnar.
    A minha sugestão é que tente encontrar essa resposta por sua própria iniciativa, sem recorrer a ninguém.
    Antes de dormir, faça orações dirigidas a alma dela, e peça algum sinal nos sonhos.
    Se ela quiser responder, responderá. Se ela não quiser ou não puder, é melhor deixar nas mãos de Deus.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  17. Você tem algum livro publicado sobre o assunto? Se tiver, gostaria de compra-lo. Se não tiver, não acha uma boa ideia?
    Foi a definição do 16 mais convincente que já li.

    ResponderExcluir
  18. Minha querida leitora Vera Lucia:
    Agradeço suas palavras elogiosas e o interesse pelo meu trabalho.
    O meu primeiro livro está prestes a ser publicado, e aborda temas diversos de Numerologia e Espiritualidade.
    Assim que sair eu posso lhe informar.
    Se estiver interessada, é só escrever para o meu email que está no comentário logo acima do seu.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  19. Que texto precioso Sr.Gilberto, me encaixei perfeitamente! Tenho o número 16 de nascimento e 11 na numerologia, estou em uma fase de descobrimentos e este texto me auxiliou muito, bem como as outras pessoas! Muito lindo! Gratidão!

    ResponderExcluir
  20. Oi, Caroline!
    O fato de haver se identificado com o texto só demonstra o seu alto nível de consciência e evolução.
    Meus parabéns!
    Abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  21. Eu nasci dia 16/04/1996

    Portanto, tenho o 16 como karma
    Meu número de alma é 33, um número mestre de serviço universal
    Personalidade é 11

    Eu reencontrei a pessoa a quem minha outra personalidade fez mal e tudo voltou a acontecer por meio da lei da recorrência, mas percebi na hora do que se tratava e já to trabalhando pra consertar esse karma

    ResponderExcluir