sexta-feira, 22 de maio de 2009

Mapa Numerológico da Alma

As pessoas costumam ficar curiosas sobre o que seja um mapa numerológico. A grande maioria está cansada de conhecer o popular mapa astral, que, na verdade, é um mapa astrológico. Poucos, muito poucos, no entanto, já viram um mapa numerológico.
Um mapa, além do significado tradicional de desenho ilustrativo de uma região, também pode ser definido como um esquema demonstrativo, que distribui e situa cada informação, dentro de um plano de trabalho. Pois bem, é assim que deve ser visto o mapa numerológico.
O plano de trabalho é baseado numa técnica pitagórica, que atribui valores
numéricos às letras, e caracteres qualitativos aos números. A numerologia não considera o número um simples símbolo de valor quantitativo, que estabelece volumes, intensidades, espaços e grandezas dimensionais. A técnica desenvolvida pelo grande filósofo, matemático e mestre iniciático Pitágoras atribui a cada número um perfil próprio, que identifica e define as tendências e vocações humanas.
Pitágoras foi um sábio grego que possuía dons cristícos e poderes avatáricos, se
melhantes aos que, séculos mais tarde, foram desenvolvidos por Jesus, o grande avatar do amor.
O mapa numerológico, porém, é apenas o esquema demonstrativo desse plano de trabalho, que tem por base transformar tudo em números. Como dizia Pitágoras, os números são tudo, e não existe nada que não seja número. Segundo a visão pitagórica, Deus é o grande matemático, que criou tudo a partir dos números.
O mapa numerológico é, portanto, o ponto de partida, mas jamais o de chegada.
Os números são símbolos que identificam, mas não influem. Chega-se a conclusões através da leitura dos sinais numerológicos, mas não se criam situações, nem se materializam obras, a partir dos números.
Pitágoras ensinava a seus discípulos que conhecer as qualidades numerológicas era um talento que permitia o acesso ao auto-conhecimento.
"Conhece-te a ti mesmo, e conhecerás os Deuses e o Universo". Era com essa frase que a filosofia grega contemplava os que adentravam o Templo de Delfos, onde as sacerdotisas profetizavam os futuros acontecimentos e os sábios aconselhavam seus discípulos.

O mapa numerológico distribui os números em seus diversos espaços de leitura, mas haverá de ser com o conhecimento da filosofia do Mestre que o discípulo saberá interpretar corretamente o que esses números podem revelar.
Muitos se julgam conhecedores da numerologia, por saberem apenas montar esse plano inicial do trabalho. Mas, o mapa é só o início, já que a leitura correta exige profundos estudos e análises, dentro do que era ensinado por Pitágoras aos seus discípulos. Por isso, diz-se que não basta saber identificar o perfil de cada número, é preciso interpretá-los dentro de um contexto consistente e interativo, a que eu denominei "trama da alma".
A trama é um entrelaçamento de fios e nós que produzem uma peça enredada, onde tudo tem de estar relacionado e dependente entre si. E é assim que terá de ser visto o mapa numerológico.
A alma criou uma trama que terá de ser seguida pela personalidade, a fim de
que se concretize a missão. É dessa forma que o mapa terá de ser analisado. Nenhuma idéia solta, nenhum ponto discordante.
A alma é o resultado do somatório das vogais do nome que se recebe ao nascer. A personalidade é a soma das consoantes. A missão é a soma completa de vogais mais consoantes.
A Numerologia da Alma, metodologia por mim desenvolvida, promove a análise dos ideais da alma, as razões pelas quais ocorreu uma nova encarnação e os caminhos a serem percorridos para o fiel cumprimento da missão.

A Numerologia da Alma não se prende às ambições e anseios da personalidade, que é o ego encarnado, e que sofre todo tipo de pressão social e influências kármicas dos antigos erros cometidos em vidas passadas. Muitas vezes, a personalidade tenta desviar-se da missão, por comodismo, egoísmo ou vaidade, e sofre muito com isso, até que volte a se ocupar das tarefas que foram programadas, de acordo com o plano da alma.
A Numerologia da Alma condena os que procuram utilizar-se da numerologia para satisfazer os anseios materialistas da personalidade, por provocar o distanciamento da
missão e a conseqüente frustração espiritual da alma. Ninguém poderá ser feliz, se não cumprir a missão. Não há riqueza, nem fama, nem poder, que possam proporcionar paz e felicidade, se forem alcançados mediante o abandono da missão.
Convido, portanto, os meus leitores, que desejam se conhecer melhor, e saber qual é a sua missão nesta vida, que entrem em contato comigo, para solicitar seus ma
pas. O meu email é gilberto.numerologo@starweb.com.br, e será preciso enfrentar uma fila, para aguardar a vez. Por isso mesmo, é bom reservar já a sua vaga. Se quiserem saber um pouco mais sobre a Numerologia da Alma, façam seus comentários ou solicitem um tema de sua preferência que, dentro do possível, procurarei atender.









7 comentários:

  1. Com que informações !? eu ponho no E-mail !?

    ResponderExcluir
  2. Meu ansioso leitor, José Fabrício:
    Aguarde as respostas, senão para que perguntar, não é mesmo?
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  3. Como eu disse acima, José Fabrício, atropelar as etapas não é uma boa atitude para um número 7. Mais paciência e reflexão, antes de falar ou de escrever, isso, sim, é uma atitude digna de um pensador e intelectual nº 7.
    Calma, muita calma.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir
  4. Olá Mestre , Quero muito meu mapa , quero me conhecer melhor , tomara que no meio do ano eu consiga meu emprego já estou fazendo meus documentos para isso , preciso evoluir.

    ResponderExcluir
  5. Quem sabe se não poderia estar fazendo um esforço maior para conquistar tudo o que tanto deseja na vida! Já pensou nisto, José Fabrício?
    Talvez esteja falando demais, e fazendo de menos.
    O desejo só tem valor se for seguido por atitudes.
    Quem quer mesmo alguma coisa, sai atrás, persegue com todas as suas forças e com os recursos de que dispõe.
    Reflita um pouco mais sobre o que já poderia ter feito para ter o que deseja.
    Um abraço.
    Gilberto.

    ResponderExcluir